Home Fóruns Lacrimosa e notícias 1997 – Anne – DarkOathOnline

Este tópico contém resposta, possui 1 voz e foi atualizado pela última vez por  Lacrimaniacos Fã Clube 5 meses, 2 semanas atrás.

Visualizando 1 post (de 1 do total)
  • Autor
    Posts
  • #527

    Data: 1997
    Fonte: darkoathonline
    Tradução: Karina Pinotti

    – Lacrimosa é uma mistura incomum de vários gêneros musicais, assim criaram um estilo único e de sua autoria. Os luxuosos arranjos orquestrais de natureza clássica são abrigados por guitarras e tambores metálicos e a imagem e espírito gótico. Pouco depois do lançamento de “Stille”, o quinto álbum completo da banda, e depois da turnê alemã para promovê-lo, eu tive uma conversa com Anne Nurmi para descobrir mais sobre o novo álbum e os planos da dupla para o futuro.
    (Um pequeno trecho da entrevista mostrada na íntegra no Dark Oath # 6)

     – Parece que Tilo começou a compor música quando ainda era muito jovem (17, se meus cálculos estão corretos), como ele se sente sobre essas primeiras composições nos dias de hoje e como surgiu a oportunidade de criar algo como Lacrimosa, especialmente por ele começar sozinho?
    – Anne – Sim, Tilo Wolff tinha aproximadamente dezessete anos quando suas primeiras canções nasceram. Sua primeira ideia foi “pintar” música em torno das letras que ele estava escrevendo desde que ele era muito jovem. Sua primeira tentativa de fundar uma banda foi escrever letras junto com um amigo e depois fazer canções com elas, mas pouco depois eles terminaram em uma pequena batalha e se separaram sem compor nada pronto juntos. Sendo fascinado pelo pensamento de ser capaz de criar música, Tilo não desistiu, mas continuou sozinho expressando suas emoções com a ajuda de diferentes instrumentos. Especialmente as gravações antigas são muito próximas de seu coração como a experiência de fazer música no início foi muito forte.

    – Embora a maioria das pessoas fãs de Lacrimosa venham da cena Goth / Dark Wave, a música em si é bastante variada e cheia de outras influências. O que você pode nos dizer sobre seus gostos pessoais e educação musical ao longo de sua vida? Como você se alimenta de ambos para criar sua música?
    – Anne – Nossa música está captando influências de tudo o que fazemos e ouvimos. Está acontecendo inconscientemente, é como ficar nutrido sem ficar cheio. Nós ouvimos diferentes tipos de música o tempo todo, desde compositores clássicos a Metal e realmente quase tudo no meio. As letras nascem nas situações mais variadas ​​e assim que as letras estão prontas, nossas mentes e nossos corações anseiam por fazer músicas para as letras. Nós dois crescemos com música desde muito pequenos, por isso há uma conexão muito próxima. Eu acho que nós dois não poderíamos sobreviver sem fazer música.

     – “Stille”, seu mais recente álbum, já é a 5 ª versão completa. Quais você diria que são as principais diferenças musicalmente entre este trabalho e os anteriores? Como você caracterizaria a evolução de Lacrimosa?
    – Anne – Os primeiros álbuns eram mais Dark e mais pessimistas. É normal mudar seus interesses à medida que envelhecemos e nos desenvolvemos como seres humanos. Como Tilo estava ficando mais velho e reuniu mais experiência, a música também estava se desenvolvendo com ele. As situações foram vistas de uma forma mais positiva. A música é realmente o melhor espelho para dar uma olhada no passado e as diferentes situações que Tilo passou, e nos dois últimos álbuns que nos quais já estávamos juntos , Hoje em dia a música tem vindo a ficar bastante variada como todo o sistema circundante, estamos em Muitas coisas ao mesmo tempo, mas hoje em dia vemos a luz no final do túnel e podemos levar muitas coisas de uma maneira diferente do que fizemos no passado. Aprendemos a sobreviver.

    – Grande parte da “riqueza” em “Stille” vem dos arranjos e adições orquestrais. Como foi o trabalho sobre esses arranjos e como o processo de escrita ocorre em Lacrimosa quando se trata disso? Você tem uma experiencia de como funciona antes de entrar em estúdio ou é pouco dependente da experimentação de estúdio?
    – Anne – O processo de gravação de canções leva muito tempo, pois estamos gastando 80% do nosso tempo cuidando do rótulo, portanto há pouco tempo para se concentrar na composição, o que é triste. Primeiramente nós sempre fazemos as letras e mais tarde nós compomos as canções ao redor delas, como nós realmente sentimos ela. Não é que nós levamos mais tempo apenas para fazer músicas, caso contrário nossa música não seria honesta. Nós compomos quando a inspiração vem, pode ser no meio da noite ou depois de assistir a um filme impressionante, etc. As músicas estão sempre completamente prontas quando vamos para o estúdio, não compomos mais no estúdio. Claro que às vezes acontece que ainda mudamos alguns arranjos, mas basicamente tudo já foi composto desde o primeiro instrumento, os tambores às partes orquestrais. No “Stille” estávamos gravando junto com cantores de coro e uma pequena orquestra (especialmente intensiva com músicos solistas) e foi realmente fascinante ouvir a música ganhar vida através dos músicos e cantores (Deve ser, isso realmente mostra no álbum ! – Ed.). Especialmente instrumentos reais como trombetas e violino podem mudar toda a atmosfera quando eles são reais. Claro que tudo leva muito mais tempo do que apenas programá-los no teclado, mas o que podemos fazer se somos perfeccionistas ..

    – A música de Lacrimosa

    Lacrimosa “Stolzes Herz”
    CDS 1996 Hall of Sermon, 4 músicas

     “Stolzes Herz” é o single para o quinto álbum completo de Lacrimosa, “Stille”, que foi lançado pouco depois. Duas versões da faixa-título estão incluídas no disco, uma versão editada, que é quase 3 minutos mais curta do que a incluída no álbum, e uma versão de piano instrumental. “Ich Bin der Brennende Komet” e “Mutatio Spiritus” também foram lançados. Grande parte do disco é baseado em arranjos pomposos ortodoxos / clássicos de Lacrimosa e linhas de piano, que são nada menos que majestosas e enormes. Guitarras metálicas e bateria pesada vêm para adicionar uma força e vitalidade para a faixa-título sem dissipar o ambiente épico e divino que os coros de fundo fornecem. Os oboes lascivos e os vocais peculiares de Tilo completam o cenário juntamente com o discreto suporte de guitarra acústica. ‘Ich bin …’ recorre a uma mistura semelhante de elementos de metal e gótico e novamente usa arranjos soberbos e orquestrações para elevar as coisas a um nível de qualidade muito acima da média. Minhas peças favoritas, no entanto, são ‘Mutatio Spiritus’ e a versão para piano de ‘Stolzes Herz’. As guitarras metálicas são tiradas para que essas peças deem lugar a melodia de um piano forte e sóbrio. E a primeira é uma das quais que soam trágica e melancólica, gerada por uma tempestade de chuva e assombrada por cantos fantasmagóricos de choro desesperado, e a última o calmante e também Ligeiramente triste, contudo esperançoso e alegre, final ao disco. Elegante e de fato impressionante.

    – Lacrimosa “Stille”
    CD 1997 Hall of Sermon, 8 músicas

     As proporções épicas de “Stille” são simplesmente surpreendentes. O 5º álbum completo de Lacrimosa apresenta ao ouvinte a uma combinação habilmente planejada de notas clássicas exuberantes e graciosas com hard-driven e Gothic Metal. A complexidade das orquestrações e arranjos é quase paralelo na música Rock – pianos, oboes, trombetas e cordas secções são entrelaçados e inteligentemente fundidos para fornecer uma apertada e complexa espinha dorsal sinfônica para a música de Lacrimosa. Cada um dos vários instrumentos tem uma vida própria, mas cada um é parte de um todo. Bateria metálica e a batida com um tom áspero sem destruir a sua fragilidade ou abandonar o ambiente enquanto coros angelicais levantam estas dimensões sublimes como guitarras entram em semi-rock progressivo ou solo de Hard Rock. A melancolia e a alegria falsa, amarga e doce, surgem ocasionalmente do cenário majestoso, às vezes alternando com um gênero controlado e elegante e agressivo com sabor de metal, mas a música no disco é acima de tudo, edificante e até de natureza estranhamente divina às vezes. Os vocais masculinos tranquilos são contorcidos em entonações demoníacas e cantos limpos ou equilibrados (em alguns casos, substituídos) por um canto doce em algumas canções. Eu não estou certo no que mais adicionar … Eu sinto que nenhuma palavra seria bastante para algo grande como este disco. Bravo!

Visualizando 1 post (de 1 do total)

Você deve fazer login para responder a este tópico.