Home Fóruns Discussão Geral Fanfic Alleine Zu Zweit Capitulo 2 – Larissa Nascimento

Este tópico contém resposta, possui 1 voz e foi atualizado pela última vez por  Larissa Nascimento 1 ano, 5 meses atrás.

Visualizando 1 post (de 1 do total)
  • Autor
    Posts
  • #430

    Larissa Nascimento
    Participante

    Capitulo 2 – Sucesso Finalmente

    Minha querida Angel, meu presente mais lindo.
    Tilo Wolff

    Eu não podia ficar mais feliz com essa notícia ter Anne na minha banda, ela não saberia as reações dos meus amigos de banda, na verdade nem eu sabia, eles já conheciam Anne, mas não sei como eles iam reagir com ela na banda, Anne disse:
    -Acha que os meninos vão achar ruim?
    -Claro que não, eles amam você.
    O pessoal da banda aceitaram Anne, eles gostavam dela, mas confesso que no começo foi difícil aceitar Anne como colega de banda claro estava tudo recente, minha amiga que conversava comigo agora era minha companheira de banda embora eu não gostasse quando ela estava perto de mais dos meus amigos.
    Na nossa primeira apresentação com Anne foi um sucesso ela não cantou naquela apresentação mas a forma que ela tocou teclado foi impressionante, ela sabia o jeito que eu gostava por isso eu nem precisava dizer o que ela tinha que fazer, apenas dava as notas e ela já sabia o que ia tocar.
    Estava tudo indo bem na nossa banda ate que um dia vi Anne desenhando na minha casa, eu disse:
    -Ainda desenhando Anne?
    -Você me deu ideias.
    -Eu? Que ideia posso ter lhe dado? Já sei uma roupa de manicômio com metais e correntes.
    -Não seu maluco, isso.
    Olhei os desenhos e tinham não só roupas da Anne mas também de homem roupas do estilo que eu gostava, realmente Anne me conhecia, eu disse:
    -Lindas, nossa Anne são maravilhosas.
    -Pensei em fazer roupas para nós dois, se você deixar.
    -Pode desenhar até minhas cuecas se quiser.
    -Você usaria nos shows.
    -Não pode desenhar para a rua usar em casa?
    -Posso pensar no seu caso.
    -As botas a gente compra né?
    -Claro, não sou boa em desenhar sapatos.
    -Você que desenhou om logo do nosso disco então você que manda nas roupas.
    -Tilo, acha que eu engordei?
    -O que?
    -Sei la comi tanta porcaria enquanto fazíamos shows que…
    -Anne, para com isso, você está linda, só pode ter um louco na banda e esse é meu trabalho.
    Ela deu risada claro que mesmo que ela engordasse vinte quilos eu ia dizer que ela estava magra se bem que Anne é vegana e eu acabei adquirindo isso dela ou seja era um pouco difícil engordar.
    Durante o tempo que Anne ficava comigo era o tempo de pensar em poesias ela me dava a inspiração para escrever como eu amava ter minha amiga ali comigo sempre, Lacrimosa começou a fazer sucesso e finalmente começamos a fazer shows fora do país.
    Quando tocamos na Finlândia Anne ficou em dúvida se procurava ou não a família, eu a convenci a ir claro que ela me pediu para acompanhar ela na visita, ela me apresentou para a família dela era como se eu fizesse parte da família também não só eu mas todos da banda, depois que fomos para a Suíça acabei me apaixonando pelo lugar, eu não podia mais sair do hotel pois eu já estava conhecido por isso eu não pude visitar alguns lugares, mas como eu nunca fui de seguir regras sai do meu quarto, e ouvi:
    -Vai a algum lugar?
    -Anne, me assustou, quero conhecer o lugar, vem comigo?
    -Não acha que… Conheço essa cara vai aprontar.
    -Talvez só beber um pouco mas amanhã estou cedo aqui.
    -Amanhã? Tilo Wolff você…Vamos logo.
    -Sabia que você ia.
    -Sou maluca em ir com você.
    -Também acho.
    Fomos até o estacionamento onde pedi as chaves do carro claro que nunca precisaríamos de motorista mas como o empresário era chato ele exigia, fomo de carro até um parque que ficava a alguns quilômetros de distância, descemos do carro e como sempre estava frio, eu abracei Anne e caminhamos no parque, ela disse:
    -Lembra quando nos conhecemos?
    -Me lembro todos os dias.
    -Não estaria aqui se não fosse por você Tilo.
    -Esta comigo pelo seu talento Anne e mesmo que não estivesse pelo talento eu ia te carregar para cima e para baixo…
    -Você não muda, ainda continua o mesmo doce.
    -As melhores pessoas são assim, abertas para algumas fechadas para outras.
    Nossos nariz ficaram bem pertinho era uma mania que Anne e eu tínhamos e ela como sempre estava gelada, eu disse:
    -Qualquer dia vai morrer congelada.
    -Tenho você para me esquentar.
    -Aceita dançar comigo nesse parque madame?
    -Com prazer senhor Wolff.
    -Lembra da música do Elvis que dançamos na sua casa?
    -Can’t Help Falling In Love?
    -Essa mesmo,imagina ela e dança igual fizemos na sua casa.
    Começamos a dançar no silêncio da noite e com o som da nossa respiração e batimentos do coração,Anne e eu ficamos dançando por quase uma hora só não dançamos mais por causa do frio que fazia,ela disse:
    -Tilo,que lugar é aquele?
    -parece um parque abandonado.
    -Vamos ver mais de perto.
    Ela já tinha ido na minha frente eu corri até ela e conseguimos ver que não se tratava de um parque e sim de um cemitério lindo,ela disse:
    -Se entrar é invasão?
    -Acho que sim,porque terias esses portões gigantes?
    -Que pena,tive uma ideia de desenho,mas já que não dá…
    -Que tal irmos para um lugar quente?
    -Boa ideia.
    Voltamos para o carro e ainda conseguimos ver mais algumas coisas da Suíça,no hotel não conseguimos dormir,eu estava no quarto de Anne e nada de sono,comecei a ler um livro e Anne lia comigo ela pegou meus óculos de grau e os colocou,eu disse:
    -Anne,quando vai tirar seus óculos?
    -Nunca eu tenho o seu,podia ser escritor também Tilo.
    -Mau tenho tempo para música imagina para poesias.
    -Bem o livro pode demorar um ano dois pra ficar pronto,já os discos não né.
    -Vou pensar.
    -Conheço esse pensar.
    -E como conhece,fala uma coisa que você não sabe de mim?
    -Sua família seus relacionamentos.
    -Porque não tenho nenhum dos dois.
    -Não tem ou não quer falar?
    -As duas coisas.
    -Tilo,achei que fossemos amigos.
    -E somos só não gosto de lembrar da minha vida.
    -É tão dolorido assim?
    -Pior que é.
    Lembrei que Anne tinha me contado tudo sobre ela até mesmo o mais dolorido,eu disse:
    -Tá eu conto.
    -Não precisa me contar se não quiser…
    -Eu tive uma irmã gêmea, e quando ela completou onze anos ela ficou doente e papai a internou em uma clínica psiquiátrica, minha mãe não aceitou e depois de alguns meses ela se separou do meu pai, um tempo depois ela casou de novo. Papai não aceitou isso e um dia ele bebeu muito pegou sua arma no cofre e foi até a casa onde mamãe e eu morávamos e ele atirou no meu padrasto e na minha irmã pequena, ele não me machucou, mas quando ele foi preso eu pedi para ele me dizer onde Amy estava, eu a achei cuidei dela, mas um dia ela experimentou drogas e teve overdose e ficou internada, depois me ligaram dizendo que ela tinha se matado, e vivo sozinho desde então, eu a amei muito e sinto falta dela.
    Anne me abraçou e enxugou minhas lagrimas era a primeira ver que eu dormia sobre Anne geralmente ela que dormia sobre mim, ela disse:
    -Você é um bom homem Tilo, sua mãe criou um homem bom tenho certeza que ela está feliz por você ser essa cantor talentoso e divertido.
    -Acha?
    -Certeza.
    Era bom dormir ouvindo o coração dela bater sentir sua respiração perto sentir seu cheiro perto.

    Querida adorada meu coração dispara quando penso em você.
    Tilo Wolff

Visualizando 1 post (de 1 do total)

Você deve fazer login para responder a este tópico.